Festa, balada, bebida, sexo, pornografia, prazer, drogas... E uma promessa de felicidade que acaba na primeira reflexão, nas primeiras lágrimas, na primeira grande queda.  Sei o quão atraente o mundo se mostra, e o quão prazeroso ele é. Sei que é muito difícil dizer não, que muitas vezes nós caímos, desanimamos, desmotivamos e acabamos aceitando a mentira que ele nos prega. O diabo é tão carente que faz de tudo para ter a nossa atenção e para nos tirar da Verdade, do real. O mundo nos quer, mas a voz de Deus deve soar mais forte em nosso coração.
Passou da hora de responder o chamado que Deus nos fez. Se já conhecemos o amor de Deus, porque ainda temos essas “recaídas”? Quantas almas estão se perdendo porque somos fracos, porque não confiamos em Deus, e porque não nos abandonamos? Quanto amor poderia ser plantado no mundo através da missão que Deus nos confiou e por medo ainda não assumimos? Quantos jovens, adultos, crianças, doentes e pobres esperando que nós anunciemos a alegria que não passa? Quantos serão condenados por causa de nossos descuidos? O Senhor necessita dessa resposta!
Nosso sim é a maior oferta a Deus. Nossa vida é o melhor louvor quando faz a vontade do Senhor. Deus, a Igreja e o mundo precisam de jovens que testemunhem que a maior alegria de suas vidas é tê-la ofertada ao Cristo. Que sejam fiéis na decisão e responsáveis na missão. Que simplesmente, digam sim.
Necessitamos hoje de jovens que renunciem a todo o pecado, e tenham a ousadia de ir contra o mundo. Jovens capazes de anunciar para todos nas suas atitudes, gritando se for preciso, que Cristo vale a pena, Cristo vale a vida! Que o amor de Deus é inesgotável, infinito e inexplicável, mas também experimentável. E quem já provou desse amor sabe do que estou falando... O coração só se preenche quando encontra o seu verdadeiro amor, que é Jesus. E o coração preenchido é tão realizado que não consegue não consumir a sua vida pelo evangelho.
Não podemos mais ser jovens cristãos pela metade, que na primeira dificuldade já largam tudo. Não podemos! Precisamos de ousadia, de coragem! Desapegar das coisas dessa terra e nos lançar nas promessas e nos sonhos do Senhor.
Deus tem o prazer de te dar o céu e espera ansiosamente pelo teu sim. Que o teu único tesouro seja o Reino!
Escrito por Dário Filho,
equipe Apostolado Mariano.
#SãoPauloApóstolo| ''Tudo isso vem de Deus, que nos reconciliou consigo por Cristo e nos confiou o Ministério da Reconciliação” (2Cor 5, 18). Deixe sua opinião nos comentários e ajude-nos nesta missão! Rezando uma Ave-Maria por este apostolado, você estará ajudando muitas almas. Deus lhe pague.

Para assistir ao vídeo, é só clicar no play!


Indiferença, desigualdade, injustiças... No mundo de hoje quase tudo faz a gente pensar em desistir. E como desistimos fácil! Mas enquanto tudo aponta pra ideia de “chutar o pau da barraca”, o Cristo diz-nos: “Levanta-te e anda!”.

Sei que muitas vezes olhamos para as nossas realidades e nos decepcionamos. Guerras, prostituição, pobreza, fome... Essa bagunça é perceptível para todos! E em meio a tudo isso, Deus através da sua Igreja nos propõe um desafio chamado santidade. Desafio esse que é feito para todos, sem exceções.

Ah, a santidade! Todo cristão fica com os olhos brilhando ao falar dela. E os olhos de Deus também brilham quando ele sonha com cada filho sendo santo. Nos sonhos do Pai fomos feitos somente para estar ao lado d’Ele. O You Cat (catecismo jovem) ao falar de santidade, na sabedoria da Igreja, se refere dessa forma:

“Qualquer pessoa pergunta: Quem sou eu e para que estou aqui, como me realizo? A fé responde: Só na Santidade o ser humano se torna aquilo para que Deus o criou. Só na Santidade o ser humano chega à verdadeira harmonia consigo mesmo e com o criador.”

Pergunta 342, página 190.

É isso! Deus nos quer santos, e estamos aqui para isso! Mas, como? Como posso ser santo? Como posso ir contra a ditadura do mundo e do pecado?

Dizia São Paulo aos colossenses: “Aspirai às coisas do alto”. Devemos sonhar com o céu e esse é o primeiro passo. Querer o céu. Todos os santos sonharam com a vida eterna, e mesmo sabendo que não eram dignos de lá, confiaram na misericórdia de Deus. O nosso maior sonho, a nossa maior meta deve ser o Paraíso, pois lá e só lá, encontramos a felicidade em plenitude. E a nossa maior esperança deve ser a graça e a misericórdia do Pai, sempre disponível a nos acolher.

E sonhar com o céu nos leva automaticamente a outra decisão: renunciar a tudo aquilo que não é do céu. Tudo que não pertence a Deus deve ser eliminado das nossas vidas... Radicalidade! Ser por inteiro! E a cada vez que a tentação vier (e ela vem) repetir as palavras de São Filipe Néri: “Eu prefiro o paraíso”. E quando cairmos, pois somos humanos e cairemos, devemos nos levantar utilizando dos recursos que Deus nos disponibiliza, e não deixar que o pecado nos abale, pois como diz São João Paulo II, "o santo é o pecador que nunca desiste."

Mas há uma coisa que é a principal escada para o céu, e a mais bonita decisão que mora no mais íntimo de cada ser humano: o amor. Só é santo quem ama, só é santo quem sabe amar. Deus é amor, e como seus filhos o amor está no nosso DNA, na nossa essência, marcado em nossa alma. A exemplo do Cristo devemos ser capazes de chegar ao limite por amor a Deus e aos nossos irmãos. O amor leva ao céu, pois nos encaminha a todos os pontos que refletimos anteriormente e mais, nos leva ao irmão. Quem sonha com o céu não sonha sozinho e nem quer ir sozinho, o amor faz a gente ser comunidade e buscar juntos a alegria que não passa.

A geração de santos está se formando
e é isso que me faz acreditar no mundo! 

Escrito por Dário Ramos,
equipe Apostolado Mariano.
O Deus que nos cria, simplesmente por amor faz-nos a mais querida das criaturas dando-nos corpo, alma, espírito e liberdade. E nós nos prendemos ao pecado!

Mas Deus não desiste de nós. Ele nos dá leis a serem seguidas para aproximar-nos do amor d'Ele, nos não compreendemos e Ele cria a mais bela, doce, pura e humilde criatura. Se encarnou no seio-pois Ele não pode co-existir com o pecado mas também não nos pode tirar a lei do livre arbítrio, habitou entre nós, nos falou de Seu amor pessoalmente em nossa natureza, morreu na cruz, humilhado, chagado, cuspido e ensanguentado aguentando o peso de nossos pecados e ofensas.


Mais ressuscitou! Mostrando-nos a vitória, libertou-nos de nossos pecados e agora somos livres pelo amor. Mas sabendo que não aguentariamos esse longo calvário sozinhos, deu-nos o Espirito Santo e Maria, vossa amadíssima esposa. Com um amor capaz de nos fazer superar todo tormento, nos permite sentir todos os dias o seu cheiro tão agradável que emana de vosso Santo Espirito , nos mostrando com tudo isso que vossas leis não são para nos prender, mas para que saibamos amar com mais liberdade e chegar até o amor, que é Cristo, preparados sem que o deixemo-nos de reconhece-Lo.


Escrito por Helena Lúcia.
O Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria
A Revolução Francesa – História e contextualização


A Revolução Francesa marcou para Igreja Católica um dos períodos mais difíceis de sua história. Isto porque a Revolução não só propagou os ideais iluministas que incluíam um sentimento anticlerical e antirreligioso, como também exerceu na prática esses ideais, muitas vezes de forma violenta.

O período do Terror marca o início do movimento violento que se deu contra a Igreja Católica. Igrejas são apedrejadas, padres são forçados a abdicar, imagens religiosas são destruídas e o culto religioso passa a ser proibido. Podemos ainda citar as tentativas de substituir o culto religioso por um culto revolucionário, como o culto à razão e ao Ser Supremo. Esses cultos exaltavam a vitória da razão e da consciência sobre a dominação da Igreja.

Profeticamente São Luiz Maria previu que o demônio ficaria muito zangado com este livro, o demônio queria acabar e impedir a devoção à Virgem Maria, de fato o demônio tentou destruir esse livro, não conseguiu, mais conseguiu esconder o livro por 130 anos, de 1712 a 1842, quando foi encontrado em uma caixa por um padre da congregação fundada por Montfort. Isto foi predito pelo Santo em seu Escrito: “Prevejo que muitos animais frementes virão em fúria para rasgar com seus dentes diabólicos este pequeno escrito […] Ou pelo menos procurarão envolver este livrinho nas trevas e no silêncio duma arca, a fim de que não apareça” (TVD 114). Mas Deus na sua providência, fez com que o livro fosse redescoberto e publicado.

O Sucesso deste livro se mede pela quantidade de Santos que ele gerou. Este método de consagração gerou grandes santos, a exemplo mais próximo do Bem-Aventurado Papa João Paulo II, cujo lema do seu pontificado era Totus Tuus (Todo Teu, Maria) que foi tirado deste livro, e também muitos outros santos como; São João Bosco, São Domingos Sávio, Santa Terezinha do Menino Jesus, São Padre Pio de Pietrelcina e etc., todos consagrados por este método de consagração. A consagração total, totus tuus, vai além de uma simples entrega, é uma entrega total ser todo de Maria, em pensamentos, atos, hábitos. O consagrado torna-se escravo, coisa, propriedade da Santíssima Virgem, por isso vive uma vida de abdicações e de modéstia.

A consagração total a Maria nos ensina também algo maior, que é a devoção a Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento, sem a devoção ao Santíssimo Sacramento não existe a devoção a Nossa Senhora. Sejamos devotos verdadeiros da Santíssima Virgem Maria para com Ela e como Ela chegarmos ao nosso bem maior que é Jesus Cristo. Sucesso deste livro se mede pela quantidade de Santos que ele gerou. Este método de consagração gerou grandes santos, a exemplo mais próximo do Bem-Aventurado Papa João Paulo II, cujo lema do seu pontificado era Totus Tuus (Todo Teu, Maria) que foi tirado deste livro, e também muitos outros santos como; São João Bosco, São Domingos Sávio, Santa Terezinha do Menino Jesus, São Padre Pio de Pietrelcina e etc., todos consagrados por este método de consagração.


A consagração total, totus tuus, vai além de uma simples entrega, é uma entrega total ser todo de Maria, em pensamentos, atos, hábitos. O consagrado torna-se escravo, coisa, propriedade da Santíssima Virgem, por isso vive uma vida de abdicações e de modéstia.

A consagração total a Maria nos ensina também algo maior, que é a devoção a Nosso Senhor no Santíssimo Sacramento, sem a devoção ao Santíssimo Sacramento não existe a devoção a Nossa Senhora. Sejamos devotos verdadeiros da Santíssima Virgem Maria para com Ela e como Ela chegarmos ao nosso bem maior que é Jesus Cristo.

O Tratado nos leva ao conhecimento do Reino da Virgem Maria e ao conhecimento do Reino de Cristo. São Luís também diz que Jesus veio ao mundo por Maria e por Ela deve voltar no fim dos tempos:
“Ela deu Jesus Cristo ao mundo a primeira vez, a há de fazê-lo resplandecer também na segunda vez” (TVD 13). Com tal desejo de se entregar a ela, faça uma experiência. Antes de se entregar, inteiramente, a Santíssima Virgem Maria. Tente fazer tudo “por Ela, n’Ela, com Ela e para Ela. ” Imitando também suas virtudes;

“A Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem é Santa, isto é, leva a alma a evitar o pecado e a imitar as virtudes de Maria, particularmente a sua profunda humildade, a sua fé viva, a sua obediência cega, a sua contínua oração, a sua mortificação universal, a sua pureza divina, a sua ardente caridade, a sua paciência heróica, a sua doçura angélica e   sua sabedoria divina (TVD108).

Escrito por Aloísio Júnior,
equipe Apostolado Mariano.